• Ana Carol Diniz

Plano de Comunicação deve ser Focado em seu Público Alvo e não em Modismos



Quem entrou nas redes sociais nos últimos dias viu a palavra "cringe" ser muito utilizada. Mas o que é "cringe"? O termo vem servindo como forma de rotular roupas, gostos e comportamentos dos millennials - pessoas nascidas entre 1980 e 1996 - e por isso virou alvo de discussão na internet. E a crítica vem da geração Z, que engloba os nascidos entre 1997 e 2010, ou seja, pessoas entre 24 e 11 anos. O "cringe" é tudo considerado vergonhoso, cafona. É o antigo "pagou mico".

Nas redes sociais, esta nova geração considera "cringe" postar stories de aniversário para os amigos. Assim como colocar hashtags (#) e emojis nas suas publicações.


E o que este novo termo tem a ver com o nosso papo aqui? Como empreendedor, você precisa ter uma rede social ativa do seu produto, marca e serviço. Mas, por conta de regras desta nova geração, você vai mudar toda a sua comunicação?


Em primeiro lugar, você precisa saber qual é o seu público. Se é mais velho, nada do que a geração Z pensa serve para que você mude suas postagens.

O uso de hashtags, por exemplo. segue sendo uma estratégia para atrair seguidores, ampliar a visibilidade do conteúdo e engajamento dos seus posts. Na barra de pesquisa do Instagram, você pode pesquisar as hastags mais usadas. O Instagram não retirou esta função por causa da opinião da geração Z.

Muitos dizem também que não vale investir no Facebook, por estar ultrapassado. E que agora é importante ter um perfil no Tik Tok. Nem tanto o céu nem tanto a terra. A antiga rede social já teve dias de mais fama, mas continua sendo importante local de contatos. Assim como o Tik Tok pode não ter nenhuma relação com seu negócio. Vai depender do seu público. Ele está por lá?

Esteja na rede em que seu público está. Não importa se é "cringe" ou não.


Ana Carolina

Jornalista

Especialista em Comunicação & Empreendedorismo



13 visualizações0 comentário